21 de Março, Dia Internacional da Síndrome de Down

Hoje o Brasil e mais de 40 países celebram o Dia Internacional da Síndrome de Down. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2006 com o objetivo de dar ampla visibilidade aos direitos dessas pessoas, contribuindo para melhor informar a sociedade e combater o preconceito que atinge fortemente esse segmento da população.
É importante destacar que a Síndrome de Down não é uma doença, mas uma condição da pessoa dentro da diversidade humana. Enquanto pessoas com deficiência, elas têm seus direitos assegurados pela Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, ratificada pelo Brasil com força constitucional.


A elaboração da diretriz terapêutica “Atenção à Saúde da Pessoa com Síndrome de Down”, publicada em 26 de setembro de 2012, foi um marco para a promoção dos direitos dessas pessoas. Como uma das metas do Plano Viver sem Limite, esse documento estabelece parâmetros e orientações à família e às equipes multiprofissionais para o atendimento e cuidado à saúde da pessoa com Síndrome de Down desde seu nascimento ao longo de toda sua vida.
As pessoas com Síndrome de Down têm dado lições ao mundo de que os limites e barreiras estão na sociedade. Elas hoje estão nos bancos escolares, em postos de trabalho, nas universidades, são atores, repórteres, vendedores, fotógrafos, dentre tantas outras profissões, ocupando um lugar próprio e digno na sociedade.


Como forma de homenagear a todos que têm dedicado suas vidas à construção de uma sociedade inclusiva, sem barreiras, discriminação e preconceito, parabenizamos a Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down que compõe o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Conade, pela luta árdua e vencedora que tem desempenhado. Que todos se espelhem neste trabalho, até que o país consiga eliminar por completo o preconceito que ainda existe e poder oferecer a plena garantia de direitos para todos os seus cidadãos, com ou sem deficiência.

FONTE: Secretaria Especial de Direitos Humanos/ Ministério da justiça e cidadania