O processo de mudança em Luzilândia através da política administrativa

Gestão da mudança

Para entendermos o processo de mudança é necessário partirmos da abordagem de alguns princípios. No entanto, numa linguagem bem clara e aberta o que se pode dizer é que há muito a população de Luzilândia descontente com a maneira de administrar a coisa pública em nosso município, demonstrou em sua vontade um grande desejo de mudança. No período eleitoral, entenderam as muitas classes do nosso município que Ronaldo Gomes era o estandarte desta mudança. Não seria o jovem candidato tirado da gaveta, não seria o mesmo um candidato tirado do bolso, e nem o resultado de combinações político-partidárias feito em mesa redonda. Mas seria o jovem, Ronaldo Gomes, o resultado da solicitação e do desejo popular, um requerimento de todo o povo que sentia-se violentado e agredido nos seus direitos e valores.

A mudança aconteceu, e esta prossegue. O fato é que não existe um modelo de governo pronto e acabado. Mudanças são geradas de forma gradativa e não imediatistas. Todo o percurso deve seguir os princípios da legalidade, da moral, e da ética, isto faz com que as coisas em algum momento ocorram de forma um tanto lenta. Não se pode confundir uma gestão, de fato, iniciada do zero com mandatos consecutivos, efeito de reeleições e mesmos modelos de governar, aonde coisas eram simplesmente jogadas debaixo do tapete sem obedecer a ordem da transparência.
O Governo Construir e Servir não abre mão do entusiasmo, e entende que muitos não compreendem a forma de sua atuação, ou seja, para mudar é necessário, de fato, responsabilidade. Talvez, por tudo isso, a mudança que se segue e que é vista por todos em sua atuação, pois ao contrário do que alguns pensam nem a população é cega assim como Luzilândia não é invisível. Isto talvez explique tanto espanto ou decepção pois esta ADMINISTRAÇÃO  não anda junto, por exemplo, com os desvios milionários, como os de costume do dinheiro público que antes aconteciam e que hoje estão sendo descobertos.
Não seria verídico ruas sendo limpas, a iluminação pública em processo de recondicionamento, de novo ruas que antes tinham valas graves e trechos em difíceis acessos sendo reparados, chafarizes na zona rural concertados e em funcionamento, escolas em pleno desenvolvimento de suas funções, postos de saúde na cidade e interior iniciando as suas funções, pontes reconstruídas e outras restauradas, escolas sendo construídas, professores com salários em dias e dentro do mês, além de muitos outros feitos que fazem parte da “mudança”.
Exigir e cobrar, é certo e legítimo, porém deve ser feito com sensatez e não no embargo das emoções desorientadas. O povo que elegeu o gestor, condutor do seu destino político, com ele deve andar, quando o mesmo desenvolver seu trabalho da maneira aqui descrita e visualizada através de tantas outras vezes atrás. Isto é, no minimo, ser cortes e ajudar no processo de mudança.

Assessoria de Comunicação /Análise Política