Secretaria de Assistência Social adere à programa Criança Feliz

O Governo Municipal de Luzilândia, através da Secretaria Municipal de Assistência Social implantará no município o Programa Criança Feliz.

Lançado em outubro do ano passado pelo Governo Federal, tem suas iniciativas Coordenadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). O programa é voltado para a primeira infância, através do desenvolvimento integral da criança, reduzindo a desigualdade e a pobreza extrema. Essa é também uma maneira de fortalecer as políticas públicas que atendem crianças.

No Piauí o programa foi oficialmente lançado no mês de maio, com a adesão de 173 municípios, atendendo cerca de 22,1 mil famílias só no estado, sendo Luzilândia um dos municípios que aderiram ao programa.

A secretaria de Assistência Social de Luzilândia trabalha para a implantação do programa no município, onde já concluiu duas das etapas necessárias que é a capacitação de supervisores do Programa e a capacitação de visitadores

 A enfermeira Cristiane Costa Soares, supervisora do programa, participou da capacitação que aconteceu dos dias 24 à 28 de julho, na SASC em Teresina.

Após a primeira etapa concluída, a supervisora Cristiane realizou no município a capacitação dos visitadores, com duração de uma semana de treinamento e certificação pela Secretaria de Assistência Social. A entrega de certificados aconteceu na tarde desta segunda-feira (14/08), na sede do CRAS, com a presença da secretária, da subsecretária de Assistência Social, da Coordenadora do CRAS, e de membros do centro.

O Programa Criança Feliz integrará ações coordenadas em várias áreas, como saúde, assistência social, educação, justiça e cultura. Além disso, serão feitas visitas domiciliares semanais, com o objetivo de oferecer às famílias informação e interação com as crianças, identificando oportunidades e riscos para o desenvolvimento infantil.

O Programa prioriza crianças e famílias em situação de vulnerabilidade e risco social, nos seguintes recortes:  Gestantes, crianças de até 36 (trinta e seis) meses e suas famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família; Crianças de até 72 (setenta e dois) meses e suas famílias beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada; Crianças de até 72 (setenta e dois) meses afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medida protetiva.

 

 Assessoria de Comunicação

Com informações: MDSA