Reunião entre secretariado e fiscal da ADAPI discute medidas para combate à capina química em Luzilândia

Aconteceu na manhã da última terça-feira (22), na sede da prefeitura Municipal de Luzilândia uma reunião com a Engenheira agrônoma e Fiscal estadual agropecuária da ADAPI Luíza Souza, junto com alguns secretários do governo. Entre eles o de meio ambiente, saúde, obras o subsecretário de meio ambiente Agnaldo Kajuru, a secretária de saúde Vilma Teresa, o Secretário de Obras Pastor Dedé, o secretário de administração Antônio Carlos e o representante da vigilância sanitária Francisco. A reunião teve como pauta de debate, o combate a capina química em ambientes urbanos e outros espaços.

Durante a reunião, a Fiscal Luíza Souza apresentou os malefícios causados pelos agrotóxicos utilizados na capina química, e enfatizou os danos não apenas à saúde do homem mas também ao meio ambiente.

Foram apresentadas medidas para alertar a população acerca dos perigos causados pelos agrotóxicos, e discutida a criação de uma campanha para o combate da capina química. Uma das medidas adotadas pela Fiscal agropecuária, é uma punição àqueles que fazem uso dessa prática que é ilegal em todo o país.

Ao final, foi decidido um novo encontro, para concretizar as ações e apresentá-las para apreciação dos interessados que estiveram na reunião.

SOBRE A CAPINA QUÍMICA

 Capina Química é um procedimento que consiste na utilização de produtos químicos agrotóxicos com o objetivo de combate de plantas consideradas danosas aos interesses do homem. Se realizada em diversos locais urbanos e periurbanas se caracteriza como uso indiscriminado de substâncias tóxicas diversas, sem amparo legal, expondo a efeitos nocivos à saúde pública e o meio ambiente. O tema capina química é relevante frente ao grande número de municípios que desenvolviam esta prática indevida e ilegal. É caracterizada a banalização desta prática, e as razões principais para essa situação são o desconhecimento generalizado de autoridades municipais, trabalhadores, comerciantes e a população em geral:- do risco à saúde e ao meio ambiente do uso de substâncias agrotóxicas com desvio do uso autorizado;- da legislação vigente no país.