Com dívida da COSIP de 2,8 mi, Governo de Luzilândia esclarece, em Audiência Pública, dúvidas sobre a contribuição. Total de débitos com a Equatorial Cepisa somam 14 Milhões

Uma audiência pública foi realizada na manhã desta quarta-feira (27), na câmara Municipal de Luzilândia, com o objetivo de pedir esclarecimentos ao prefeito Ronaldo Gomes, acerca da Contribuição de Iluminação Pública-COSIP. Estiveram presentes o advogado João Carlos, assessor jurídico do Governo, e o secretário executivo de administração Cleison Alves representando o  prefeito, que cumpria agenda  na capital. Contou também com a presença dos vereadores João filho, proponente da audiência, Fernando Aguiar, Presidente da Câmara Júnior Ema, Clisérgio Plácido, Cristovão Rodrigues, Gilmara Gil, Morgana Marques, representantes de entidades e membros da sociedade civil organizada, e do engenheiro elétrico Ennio gerente da Gerawatts, empresa na época responsável pela manutenção da energia pública no município.
Durante a reunião, o engenheiro Ennio foi enfático, quanto ao valor da alíquota da contribuição cobrada atualmente, afirmando que ela é inferior aos gastos necessários para a manutenção e pagamento da dívida da iluminação pública do município, que fora parcelada pela atual gestão, para que não houvesse prejuízos maiores no fornecimento de energia elétrica.
O vereador Fernando Aguiar levantou algumas perguntas dentre elas uma suposta junção da dívida da iluminação pública, com a iluminação dos prédios da administração, sugerindo que o valor apresentado inicialmente no projeto, era uma cobrança indevida para o consumidor, já que segundo ele estaria pagando o fornecimento de energia dos prédios junto com a iluminação pública, colocando que talvez por isso a COSIP não conseguisse cumprir com o custeio do material de iluminação pública do município.
Porém o advogado João Carlos, apresentou o contrato e os comprovantes, além de balancetes que esclareciam quanto ao parcelamento da dívida, afirmando que seria impossível haver essa suposta junção, uma vez que a COSIP, tem normas e aplicações próprias, e não poderia ser cobrada em conjunto com dívidas já existentes. Também apresentou documentos fornecidos pela empresa de energia, que mostram os valores arrecadados pela COSIP atualmente no município, deixando claro que o débito ainda é superior a cobrança feita.
O Advogado informou também que o município foi notificado pela Equatorial, solicitando um novo projeto, já que o atual não consegue cumprir com a meta, uma vez que a dívida é superior ao que é arrecadado pela COSIP no município de Luzilândia. E aproveitou para pedir dos vereadores, propostas que possam solucionar o problema, para que eles participem buscando maneiras de eliminar esses entraves. Afinal, esse é objetivo das audiências públicas, buscar esclarecimentos, e também soluções por meio das partes envolvidas.
A equipe do Governo de Luzilândia também aproveitou a oportunidade para apresentar à comunidade e aos vereadores, presentes na audiência, a dívida do município, débitos provenientes de gestões anteriores, com a Cepisa Equatorial chega ao montante de um pouco mais de 14 milhões de reais.  Nos valores, vale ressaltar que somente a dívida do município com a COSIP ( Circulado em vermelho) chega a mais de 2,8 Milhões de reais.
SECOM